EMPREGO.pt - Carreiras de Sucesso

Erros fatais no Currículo

Erros fatais no Currículo

José Silva

Hoje, para espantar o bicho papão das segundas-feiras, partilhamos um texto escrito pelo Guilherme do "Por Falar Noutra Coisa" onde ele fala de erros nos currículos de forma bem disposta, mas não é por isso que é menos verdade. E como ele escreve, e bem, "há gente que só à chapada", por isso toca a ler para não fazer parte dessa gente.

Erros nos currículos

Desta vez estou aqui para fazer serviço público. Não sou nenhum perito em recursos humanos, mas já me chegaram às mãos alguns currículos que percebi automaticamente o porquê dos seus donos ou donas estarem desempregados. Por isso e porque esta é a altura em que muita gente está à procura de trabalho pela primeira vez, vou dar-vos algumas dicas com base em erros reais que já vi e outros que me contaram. A realidade supera a ficção. Há gente que só à chapada.

Foto Dizem que a primeira impressão é a que mais conta, por isso, nunca, mas nunca mandem um currículo com uma foto de óculos escuros! Só é aceitável se estiverem a concorrer para uma empresa que vende óculos escuros ou se forem cegos. Caso sejam cegos, avisem para os recrutadores não ficarem com a ideia errada. Metam mesmo debaixo da foto como legenda «Sou cego, não sou bimbo». Se for uma foto de óculos escuros à noite então ainda pior. Dentro de uma discoteca? Exponencialmente pior! Por falar em discotecas, já vi um currículo com uma foto tirada na noite, onde claramente o rapaz cortou os amigos ao lado mas ainda se via uma mão com uma cerveja sobre o ombro dele. Isto é preguiça e de quem não está muito importado em continuar a ter o tempo todo livre para ir para os copos. Tirem uma foto com o telemóvel, nos dias de hoje não há desculpa. Não tirem no espelho do WC, mas acho que isso não é preciso avisar. Por falar em amigos, conheço quem já tenha recebido um CV, onde na fotografia estavam três pessoas. A pessoa escreveu no email: «Eu sou a do meio.» Nem foi chamada à entrevista, obviamente. Também conheço quem tenha recebido currículos com uma foto de uma rapariga com uma cabeleira azul de Carnaval. Era para trabalhar num banco. Se querem ser excêntricos e causar boa impressão pela originalidade da foto, mandem fotos pelados. Mesmo que os vossos atributos não sejam passíveis de contratação automática, pelo menos ficam na memória de quem os recebeu. Em último caso não coloquem fotografia. Se forem feios não coloquem mesmo, a sério. Infelizmente, dizem as estatísticas que é mais provável um empregador contratar alguém atraente do que alguém que parece a carcaça de um gato atropelado, abandonada no meio do mato à mercê das intempéries. Por isso, na dúvida, se forem muito feios, não metam nada. Mesmo que a vossa mãe vos diga que são lindos, vocês sabem lá no fundo que Deus Nosso Senhor da beleza passou à frente a vossa senha.

Erros ortográficos Não. Não. E não. Passem um corrector e dêem a um amigo que tenha tirado positiva a português. Ver num CV «Espriência adecuirida num prujecto á des anus» é sentença de morte e nem para coveiro vos contratam. Leiam e releiam o que escreveram e mesmo que o corrector não indique erros, façam uma revisão. Provavelmente quem vos vai contratar também não vai detectar os erros, que há por aí muita gente de recursos humanos que não sabe conjugar o verbo haver, mas, pelo sim, pelo não, mais vale serem profiçionais. Sim, foi de propósito.

Aldrabar Todos nós já aldrabámos um bocadinho o nosso currículo, mas até para mentir é preciso ser-se bom. Já vi um CV em que o rapaz informático que dizia já ter trabalhado num bar à noite. Bastava ver a foto para perceber que isso era mentira a não ser que fosse num bar do Second Life. As mentiras mais comuns são as datas dos trabalhos anteriores e os títulos profissionais. Já vi um que passou de estagiário para manager em apenas três meses. Das duas uma: ou é aldrabão; ou tinha uma grande cunha. Já vi também o CV de uma rapariga com dez anos de experiência que tinha estado em mais de dez trabalhos diferentes e que começava sempre no dia seguinte a ter terminado o anterior. Fui verificar e muitos desses dias eram Sábados e Domingos. Até no 25 de Abril ela começou a trabalhar. Claramente tentou aldrabar as datas todas para esconder os períodos que tinha estado desempregada, como se isso fosse motivo de vergonha. Vergonha é tentar mentir e nem nisso ser bom.

Bíblia Currículos com vinte páginas só dão jeito para imprimir e forrar o tampo da sanita quando falta papel. Nenhum recrutador vai ler isso tudo, vai ler a primeira página e o resto na diagonal. Se ficar com boa impressão chama-vos para uma entrevista. Simples. Para quê darem-se ao trabalho de especificar todos os detalhes interessantes da vossa vida, todos os projectos que fizeram e todas as tecnologias que sabem. Nos dias de hoje, ter conhecimentos informáticos na óptica do utilizador nas ferramentas Word e Excel não acrescenta nada. Só falta dizerem que sabem partilhar fotos do Instagram para o Facebook e que têm uma média de cem likes nas fotografias safadas que colocam. Menos é mais, quanto menos razões lhes derem para não vos chamarem melhor.

Títulos word art Nunca usem isto. Nunca. Isto só se usava nos trabalhos de Ciências da Natureza do 8º ano antes do ano dois mil. Se querem dar um toque de design ao vosso CV, procurem templates para isso e exemplos na Internet. A não ser que sejam designers e se consigam safar, não inventem porque normalmente dá merda. Eu já vi o CV de um designer (!!!) que decidiu utilizar todos os tipos de letra e cores disponíveis na sua paleta. O site dele, onde expunha os seus trabalhos, era ainda mais medonho. Se fosse irónico estava genial mas, infelizmente, não era. O Nel Monteiro seria o único a contratá-lo. Já vi algo deste género:

erros nos currículos

Este tipo de efeitos no CV só é aceitável se se estiverem a candidatar a um salão de nails, que faz unhas de gel com brilhantes e foleiradas dessas. Em caso de homem, só é aceitável para o equivalente das designers de unhas de gel que são as oficinas de tunning.

Média de 10.2 Se a vossa média não impressiona ninguém, mais vale omiti-la. Ter uma média fraca só vai jogar contra as vossas intenções. Ninguém a ler um CV pensa «Média de 10.2, sim senhor, ao menos é honesto». Não metam nada e deixem para a entrevista. A partir do momento que são chamados a uma entrevista a média deixa de contar e passa apenas a contar a vossa atitude. Qualquer bom recrutador prefere uma pessoa de média baixa com uma postura impecável e resposta pronta e inteligente, do que alguém com nota alta que se percebe logo que é um palerma e que conseguiu as notas porque era marrão e não inteligente. A não ser que tenha épicos seios. Nesse caso tudo muda. Agarrem nas disciplinas que tiveram melhoras notas e metam lá como "Principais competências". Tiveram um 18 uma vez porque fizeram um felácio ao professor? Óptimo, é altura de puxar esse trunfo.

Gosto de ler E? O que é que interessam os vossos gostos pessoais e banais? Toda a gente gosta de ler (ou pelo menos diz que sim). Toda a gente já fez um desporto e toda a gente gosta de cinema e fotografia. Não acrescenta nada ao vosso currículo a não ser páginas. Se tiverem gostos excêntricos é diferente: «Coleccionador de asas de moscas mortas», «Gosto de usar lingerie feminina por lavar» e «Viciada em sexo desde os 16 anos», já são hobbies que podem interessar ou pelo menos marcar a diferença.

Cartas de recomendação Conheço um caso de um amigo que recebeu um CV acompanhado de uma carta de recomendação de cinco páginas. Era de um importante CEO de outra empresa? De alguma celebridade influente na nossa sociedade? De uma ONG para quem ele tinha feito voluntariado de forma soberba? Não, nada disso, era da mãe. Era uma carta de recomendação da mãe!!! Há gente que só à chapada. Mais uma vez, podia ser como piada e seria genial, mas não, era mesmo a sério. Na carta a mãe descrevia vários detalhes da vida do filho e como ele era muito organizado e fazia a cama antes de sair de casa. O filho tinha 26 anos, se bem me lembro e, claramente, era um xoninhas.

Email safado Está na altura de mudarem o vosso email hotmail que criaram nos tempos do mIRC. Receber um CV todo bonito e bem construído com o remetente "vanessinha69", "lobitadoida" e "elninosensual21cm" dá cabo da vossa reputação. Pode parecer mentira, mas conheço quem já tenha recebido um email, com a candidatura para uma empresa de telecomunicações, do seguinte endereço: bocalouk4... Verdade. Claro que foi chamada para uma entrevista mas pelos motivos errados.

Contactos errados Pois, há quem envie o CV em formato PDF sem ver que os contactos estão errados. Não são poucas as vezes em que isto acontece e que um recrutador até quer chamar a pessoa em questão para uma entrevista, mas quando liga para o número, dá não atribuído. O que acontece nesta situação? O empregador vai procurar para saber o vosso email correcto? Vai pesquisar-vos no Linkedin e no Facebook para vos pedir amizade e vos mandar uma mensagem privada? Não. Vai mandar o vosso CV para o lixo e vai passar ao próximo. Tenham cuidado nisto e se for para meter algum número errado ao menos coloquem um daqueles safados de valor acrescentado.

Se seguirem todos os meus conselhos e evitarem todos estes erros, provavelmente, nunca vos chamarão para uma entrevista na mesma. Portugal está pela hora da morte em termos de empregabilidade mas não custa tentar. Há que ser criativo e tentar sobressair da esmagadora maioria Europass. Um dia, enviei CVs com o seguinte assunto no email: «Se vocês quiserem, já somos dois a querer». Fui chamado para várias entrevistas, mas também pode ter sido por ter enviado uma foto todo peladão.


Valeu ou não a pena ler o texto? É retórica a pergunta, não responda, a sério! Mas se não quer perder nem um dos excelentes textos do Guilherme é só seguir aqui: https://www.facebook.com/PorFalarNoutraCoisa